Apraxia de Fala na Infância – Relato de Patrícia Consani de Angelo, mãe do Gustavo

Publicado em: Depoimentos, 13/08/2020 10:38

Através do projeto Encontro Virtual, recebemos a contribuição da Patricia Consani de Angelo, mãe do Gustavo, de 5 anos. Eles são de São Bernardo do Campo.

Ela relata que a busca pelo diagnóstico foi difícil. “Comecei a notar que o Gustavo não queria engatinhar nem ficar de bruços. O tempo ia passando e não notava evolução nele, então com 1 ano e dois meses o levei para fazer uma avaliação interdisciplinar e foi constatado um atraso motor, iniciou fisioterapia. Começou a andar com 1 ano e 8 meses e não balbuciava nenhuma palavra. Passei ele por 4 fonos, sendo que a segunda suspeitou de Apraxia de fala na Infância, mas meu filho não se adaptou ao método PROMPT.  Fomos trocando de fono até encontrar uma que ele se adaptasse ao método e estabelecer vínculo afetivo. Isso demorou 4 anos. Hoje ele faz sessão uma vez na semana com o método multigestos e vem avançando lentamente.”

Patrícia conheceu a ABRAPRAXIA pela Internet, e entende que a maior dificuldade é encontrar profissionais capacitados para lidar com o problema, o que atrasa o tratamento. “Os convênios não cobrem os tratamentos e ‘e preciso entrar com processo, nem todos tem recursos financeiros para isso. As escolas não sabem lidar com a apraxia e a exclusão da criança é um fato, além dos problemas psicológicos que podem atingir a criança devido a exclusão social. O mais importante é fazer os exercícios em casa, pois a repetição ‘e fundamental, mas devido a correria do dia a dia este passo também fica comprometido”, complementa Patrícia.

Para finalizar, fica uma dica compartilhada por ela:

“Não é fácil ter um filho com Apraxia de Fala no Brasil. Esse assunto é desconhecido e buscar ajuda é difícil. Parece que você vive fora do mundo e mesmo quando se consegue o diagnóstico, o mundo a sua volta não compreende o que está acontecendo com a criança, desde familiares até estranhos. Evitar esse constrangimento para a criança é o principal problema, pois se forem envolvidas questões psicológicas tudo fica ainda mais difícil. É uma luta diária. Nós pais nunca podemos desanimar, pois o desenvolvimento da criança depende do nosso comprometimento e AMOR.”

O “Encontro Virtual” é um projeto da Associação Brasileira de Apraxia de Fala na Infância – ABRAPRAXIA – que visa ao fortalecimento das relações de afeto familiares e sociais, através da troca de experiências.

Para participar também, acesse esse link .