Neste ano teremos a nossa conferência totalmente online, com tradução simultânea para 3 idiomas:

Nossos palestrantes são internacionais e estarão pela primeira vez nas palestras da ABRAPRAXIA!

Público: Profissionais da área da Saúde e Educação, Pais e Familiares
Dia 3 de outubro de 2020
LOCAL: Plataforma Virtual Online

Dia 3/10 (Sábado) – 8h00 às 18h30 – Conferência

Programa:

  • 08h00 – Credenciamento
  • 8h30 – Abertura – ABRAPRAXIA
  • 09h00 – Dra. Angela Morgan – Genética na Apraxia de Fala na Infância – Austrália
  • 10h00 – Intervalo
  • 10h30 – Dr. Edwin Maas – Princípios da Aprendizagem Motora – EUA
  • 11h30 – Almoço
  • 13h00 – ABRAPRAXIA
  • 13h30 – Dra. Ruth Stoeckel – Apraxia de Fala na Infância em comorbidade com questões de linguagem e congnitivas – EUA
  • 14h30 – Intervalo
  • 15h00 – Laura Smith – Para pais e fonoaudiólogos: Como identificar o caminho correto para a intervenção em AFI e o motivo de evitar fonemas isolados – EUA
  • 16h00 – Intervalo
  • 16h15 – Dra. Elisabete Giusti – Resumindo o dia!
  • 17h15 – ABRAPRAXIA – Considerações finais
  • 17h30 – Encerramento

Valores:

Parcelamos em 5x sem juros nos cartões pelo site

  • Primeiro Lote – 100 vagas
  • Profissionais: R$ 220 
  • Pais e Estudantes R$ 150 
  • Segundo Lote – demais vagas
  • Profissionais: R$ 260 
  • Pais e Estudantes R$ 180 

PALESTRANTES

Dra. Angela Morgan é professora na área de fonoaudiologia da Universidade de Melbourne, Austrália, e lidera o departamento de fala e linguagem do Murdoch Children’s Research Institute. Ela é diretora da clínica de genética da fala no Royal Children’s Hospital em Melbourne. Angela tem 23 anos de experiência como clínica e pesquisadora trabalhando com crianças com apraxia, com 180 publicações revisadas por pares demonstrando sua dedicação à Fonoaudiologia. Sua pesquisa se concentrou em compreender por que ocorre a apraxia. Ela está atualmente focada em revelar as causas genéticas e subtipos de apraxia. Mais recentemente, a equipe de Angela identificou 10 genes candidatos potenciais explicativos para apraxia. Ela espera que a detecção precoce de causas genéticas para a apraxia ajude a encerrar a odisséia de diagnóstico para os pais e possibilite a aplicação de intervenções precoces e direcionadas. Seu trabalho tem uma visão de longo prazo do desenvolvimento de terapias que visam as causas biológicas subjacentes, em vez de tratar apenas os sintomas superficiais.


Dr. Edwin Maas é Prof. Associado do Depto de Ciências e Distúrbio da Comunicação desde 2015, onde onde co-dirige o Laboratório de Fala, Linguagem e Cérebro (SLAB). Mestre em Neurolinguística pela University of Groningen (Holanda) e trabalhou como lingüista clínico na Rotterdam Aphasia Foundation. Mestre em Linguagem e Distúrbios da Comunicação pela San Diego State University e University of California. Após seu PhD, fez pós-doutorado na Boston University e no MIT com foco no controle motor da fala.
Sua pesquisa sobre apraxia da fala em crianças e adultos concentra-se em duas questões centrais e abrangentes: (1) Qual é a natureza subjacente da apraxia da fala? e (2) como podemos otimizar o tratamento para apraxia de fala? Sua pesquisa de tratamento inclui estudos de sujeito único e ensaios clínicos randomizados e tem sido financiada pela American Speech-Language-Hearing Foundation, Apraxia Kids e o US National Institutes of Health, incluindo uma concessão para conduzir um ensaio clínico randomizado para testar a eficácia de um tratamento específico para a AFI.


Dra. Ruth Stoeckel é uma fonoaudióloga recentemente aposentada da MayoClinic. Ela trabalhou como clínica e consultora independente em escolas, consultório particular, agência privada de reabilitação e clínica. Ela faz parte do Conselho Consultivo Profissional da Associação America de Apraxia de Fala na Infância (CASANA, conhecido hoje como Apraxia-Kids). Além de distúrbios motores da fala na infância, em seus interesses se incluem, os desafios de aprendizagem associados a uma história precoce de comprometimento da fala e linguagem. A Dra. Stoeckel faz apresentações nacionais e internacionais e é coautora de artigos publicados no Journal of Speech, Language and Hearing Research e no Journal of Developmentaland Behavioral Pediatrics. Ela é uma das referências para AFI no mundo e tem grande contribuição para os caminhos que hoje podemos trilhar.


Laura Smith é fonoaudióloga e é reconhecida pela Apraxia-Kids dos Estados Unidos pela sua expertise cliníca e para lecionar treinamentos avançados em Apraxia da Fala na Infância, tem o treinamento PROMPT e o Protocolo Kaufman Speech to Language (K-SLP). Ela é autora do livro “Superando a Apraxia” e tem lecionado por todo os Estados Unidos sobre Apraxia da Fala na Infância e assuntos relacionados. Laura se dedica em divulgar e aumentar a conscientização sobre o Apraxia de fala na Infância após o diagnóstico de sua própria filha de AFI. Ela cria e divulga conteúdos sobre a apraxia em suas de mídias sociais usando o codinome “SLP Mommy of Apraxia” (Fono e mãe de Apraxia)

Dra Elisabete Giusti é fonoaudióloga com especialização em Desenvolvimento da Fala e Linguagem pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Doutorado em Linguística também pela Universidade. Atualmente é Fonoaudióloga clínica com expertise em Transtornos Motores de fala e de Linguagem. É consultora técnica e sócia benemérita da Associação Brasileira de Apraxia de Fala na Infância – ABRAPRAXIA