Apraxia de Fala na Infância – Relato de Monaliza, mãe da Liz

Publicado em: Depoimentos, Textos sobre AFI, 09/06/2020 15:38

Através do projeto Encontro Virtual, recebemos a contribuição da Monaliza Mendes da Costa, mãe da Liz, de 3 anos e meio. Elas são de Natal, Rio Grande do Norte.

Monaliza relata que é Pedagoga e logo achou que havia algo errado com Liz, mas a pediatra dizia que era ansiedade. Liz tinha 10 meses e não falava nada parecido com mamãe.

“Voltei a falar no assunto após 1 ano e mesmo assim não tive apoio da pediatra. Com muita insistência consegui um encaminhamento para a fono dizendo: “percebo certa ansiedade da mãe”. A partir daí fomos encaminhadas ao otorrino e eu sempre pesquisando a partir dos sinais que eu observava nela. Até que comecei a ler sobre apraxia cheguei na página da Abrapraxia e a partir dela cheguei na fono que acompanha ela atualmente” conta Monaliza.

O interrogatório das pessoas sobre o que ela tem, a dificuldade que as pessoas da família mesmo (até pai e avó) têm de entender o que ela fala (às vezes eu também não entendo)  e a precariedade de informações que têm na cidade (Natal) são as maiores dificuldades que ela encontra no dia-a-dia. “Ainda tem pouca informação e pouca disseminação e eu gostaria de fazer mais, divulgar mais, ter mais tempo pra engajar mais na causa.”

 

Para finalizar, ela nos deixa a seguinte mensagem:

“Liz nasceu de um sonho, é uma bebê arco-íris, veio depois de dois anjos. Minha família é muito falante e por vezes sonhei com ela tagarelando, antes mesmo de nascer. Não é fácil vê-la se frustrar e chorar por não conseguir falar ou se fazer entender, mas cada pequeno avanço é uma grande emoção. Como mãe, somos a que estará sempre ali, incansáveis, mesmo cansadas, sorrindo, mesmo segurando as lágrimas acreditando que mesmo que demore, vai melhorar!

Mãe é quem fica depois que todos vão. Força mamães, mãe, mainha!”

 

O “Encontro Virtual” é um projeto da Associação Brasileira de Apraxia de Fala na Infância – ABRAPRAXIA – que visa ao fortalecimento das relações de afeto familiares e sociais, através da troca de experiências.

Para participar, acesse o link https://forms.gle/cpwdhEUNert43qoi8