Carrinho

“O que fazer quando não consigo entender o que meu filho ou filha está falando?” 

Olá! 
Vou compartilhar com vocês, uma dúvida que é frequente para muitos pais: “O que fazer quando não consigo entender o que meu filho ou filha está falando?” 
Uma característica que crianças com Apraxia podem apresentar é falta de clareza e inteligibilidade na fala. Tentam falar mas não conseguem ser compreensíveis. Não conseguir ser entendido, nem mesmo pelos pais, gera frustração e angústia. Dá para imaginar o que elas sentem.. 

O que fazer? 
Alguns pontos devem ser considerados: isso ocorre frequentemente? se a resposta for sim, talvez seja importante conversar com a Fonoaudióloga sobre a necessidade de inserir algum recurso de comunicação alternativa, comunicação por figuras (ex. PECs) ou sinais/gestos (só lembrando que mesmo para as crianças que usam esses recursos, o trabalho direcionado para a programação motora da fala deve continuar, ok?).
Se essas situações de não ser entendida, não são tão frequentes, aí vão algumas dicas: sempre fiquem atentos ao contexto da comunicação, ou se conseguirem entender alguma palavra ou parte da palavra, isso poderá remetê-los ao que a criança está tentando falar. Fiquem atentos aos gestos e olhares da criança. Se possível, peça para ela levá-los até o local e mostrar; dê pistas para a criança, como por ex. “é de comer?” “onde está?”….mas lembrem-se, que vocês só conseguirão fazer isso, se vocês mantiverem a calma (se os pais ficarem aflitos com a situação, isso deixará a criança ainda mais ansiosa!!)
Se vocês fizerem de tudo e mesmo assim, ainda não conseguir entendê-la? 
Abaixe na frente dela, olhe com muito amor para ela e de forma verdadeira, genuína, diga, que você sabe que ela está tentando te dizer alguma coisa, mas que está difícil, que você não está conseguindo entendê-la; abrace-a com muito amor, e diga, olhando nos olhos dela, que isso vai passar e que com o tempo e com a ajuda da …..(fale o nome da Fono dela), isso irá passar. Diga que você sabe que ela fica muito triste com isso, mas isso passará e logo você poderá entendê-la melhor. Fale de uma forma verdadeira (se falarmos “da boca pra fora”, cheios de receio e descrença…a criança irá sentir que isso não é verdadeiro).
Queridos pais, nossas crianças são sensíveis e percebem muito bem o que está acontecendo em volta delas. Cuidado com os olhares, com o toque, com o tom da voz…tem momentos, que um gesto, um abraço, um beijinho vindo do fundo do coração, vale muito mais do que mil palavras. Não tem jeito, as crianças com Apraxia, infelizmente terão que passar (umas por algum tempo, outras por alguns anos e outras por muito mais tempo), por situações desafiadoras como estas, mas tenho certeza e deixo aqui meu depoimento verdadeiro, que acreditando e cada um fazendo sua parte, podemos ajudá-las nesse percurso. E será muito melhor se elas conseguirem, vivenciar isso primeiramente em casa, junto com os pais, porque quando viveram novamente outras situações assim, já estarão mais preparadas. Abraços! 
Post: Dra. Elisabete Giusti, Fonoaudióloga.